Últimas Notícias

News
Recentes

Carol Teles lança spin-off gratuito de A Mais Bela Melodia na Amazon!

News
Recentes

Adaptação de Dumplin’ ganha trilhada sonora com Sia e Dolly Parton

News
Recentes

Vox é distopia sobre mulheres silenciadas e feminismo. Conheça!

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!

[Resenha] Rose na tempestade – Jon Katz

Publicado em 22 jan, 2014

Rose na tempestade – Jon Katz
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632834
Ano: 2013
Páginas: 240
Classificação: 
Página do livro no Skoob

No meio de uma terrível nevasca, a cadelinha Rose insiste em dar conta de seu trabalho como pastora enquanto nos deixa a par de suas curiosas reflexões: onde está Katie, que ela nunca mais viu, embora seja capaz de sentir sua presença em todo lugar? Quem será aquele cachorro selvagem que parece seu amigo? Por que Carol, a mula, fica parada mesmo debaixo de toda a neve que cai? E onde foi parar Sam, que sumiu depois daquele barulho todo? Mas Rose não tem muito tempo para suas reflexões divertidas — e às vezes bem corretas. Agora ela deve voltar sua atenção para uma coisa muito mais séria: correr atrás de Sam, tentar encontrá-lo e, quem sabe, salvá-lo. No entanto, alguns perigos podem ser intransponíveis para uma cachorrinha…

Resenha:
Talvez o ponto mais forte de toda a estória seja o fato da narrativa em terceira pessoa pertencer à uma cadela e um ser humano. É divertido, delicado e inusitado. Eu diria até que Jon Katz é um gênio por descrever tão convincentemente as reflexões e conclusões que a cadelinha pastora Rose chega a formular em sua cabecinha tão esperta. Não que ela entenda o que seu dono Sam fale, mas ela reage a tons de voz e gestos. Ela o compreende.

A característica mais notável em Rose é sua  determinação, ela não tem tempo para carinhos, não gosta que ninguém a toque. Em sua mente ela constrói um mapa que permite saber onde cada coisa se localiza e funciona. Quando algo sai do lugar ou está errado ela é a primeira a perceber, e com ou sem a ajuda de Sam ela resolve à sua maneira. Rose é um misto de cão pastor com  border collie e servir aos humanos é seu maior prazer, ela é leal, responsável e absurdamente corajosa. Admirada por fazendeiros da região, sempre é chamada para trabalhos extras que realiza com louvor demonstrando seu valor. Nunca fugira, recuara ou deixara de fazer seu trabalho. E acreditem, sempre há trabalho a ser feito na fazenda, a lista de dificuldades que já enfrentaram é enorme, gansos agressivos, carneiros reprodutores desenfreados, vacas em fuga, raposas e coiotes invasores, gatos selvagens ferozes, guaxinins raivosos… Rose sempre bolara um plano. Há animais que apenas a ignoram, são aqueles que não precisam de sua supervisão ou não estão sujeitas à sua autoridade, como as gatas Eve e Jane e o antigo galo Winston. Os demais a respeitam e funcionam aos seus olhares penetrantes e comandos latidos.  Rose ajuda os animais no esforço de manter as delicadas tarefas internas da fazenda em andamento. 
Seu dono Sam sente-se perdido e confuso. Após a morte de sua esposa Katie, um pedaço de si morrera junto, ele perdera a família que esperava ter e não sabia se encontraria isso novamente algum dia. Ele não dispõe da mesma energia que antes, não está seguro em recomeçar tudo novamente. Sem Katie, sem planos. As dificuldades da fazenda podem ser extenuantes, as responsabilidades de administrá-la sozinho são desgastantes e Sam precisar livrar-se dessa pena que sente de si mesmo. Dessa barreira que não o permite ir em frente. 
E entre tantos problemas já comuns na rotina de uma fazenda, a tempestade não prevista até pelos meteorologistas vem para agravar ainda mais a situação. A nevasca longa e rigorosa testará instintos e trará perigos inéditos e outros já conhecidos se intensificarão. Os animais da fazenda estão entrando em pânico enclausurados em celeiros e galpões, mas sem dúvidas não resistiriam ao frio descampados lá fora. A água está congelada, a comida acabando e um covil de coiotes está prestes a invadir e atacar a fim de garantir sua sobrevivência. Rose tinha seu trabalho, mas comida era o trabalho dos demais ali. Sam e Rose correm perigo, eles não podem perder a fazenda mas precisam colocar suas vidas em primeiro plano… Vocês se surpreenderão com a quantidade de pequenos e grandes problemas que surgem em uma situação como essa.
É quase impossível não se cativar pela estória, caso você não goste de animais talvez ache enfadonho, mas é lindo ver a bravura de Rose e seus esforços para manter a fazenda funcionando e os animais vivos. O relacionamento da pastora com Sam é tocante, eles se respeitam e se amam de um modo único que apenas os animais podem proporcionar. Algo que me tocou bastante durante a trama foi o fato de Rose não ter visto Katie ser lavada após morrer, e como a cadela se guia por cheiros também, ela passa o enrendo todo a procura de sua dona, relembrando os momentos que passavam juntas e sentindo sua falta. É triste e deixa a estória mais emocionante. Rose não teme a morte, ela está acostumada a perdas e isso talvez explique a sua impulsividade em defender a qualquer custo os animais diante de qualquer perigo fatal. Um cachorro selvagem que se aproxima e passa a fazer parte da fazenda esconde segredos e laços com a destemida Rose… A leitura é mais que recomendada!
“O dono que ela conhecia, cuja rotina e cujos comandos definiam cada dia de sua vida, parecia ter sido soprado para longe pela tempestade, levando a vida previsível e definida que ela conhecia.” Trecho da página 125
Leia mais de 4 milhões de livros no seu e-book. Os melhores e-books do mundo estão aqui

Recomendados para você

Deixe seu comentário

18 Comentários

  • GonçalvesSue
    10 fevereiro, 2014

    Amei a capa, e sua resenha, embora a história seja interessante, não me animei para ler, gosto de cachorros, porém fiquei traumatizada com o que fizeram com a nossa cadela "que era um doce". Então deixamos de mão dos cachorros…

  • Thiago Trisltz
    07 fevereiro, 2014

    Ah, o livro parece bonitinho, fofinho e tudo o mais e sua resenha tá boa também mas….não é pra mim viu. Não sou fã nem de filmes com animais…imagina de livros então. Me chamem de sem sentimentos ou algo do tipo mas é isso…nem Marley e Eu eu chorei ao ler, como muitos choraram.

  • Mallu Marinho
    06 fevereiro, 2014

    Eu amo histórias com animais. Depois de "Marley & Eu" é impossível eu não chorar quando leio livros com esse tema. A capa é linda e não tenho dúvidas de que a história também seja. E o fato de ser narrado pela própria Rose é um ponto que deve torná-lo ainda mais especial. Já vi resenhas dizendo que a leitura é bastante lenta, então fiquei com a pulga atrás da orelha. Mas quando eu tiver oportunidade, lerei.

  • Bruna Souza
    04 fevereiro, 2014

    Gosto e ao mesmo tempo não gosto de histórias com animais, principamente os de cachorros. Gosto por ser um diferencial na leitura, e não gosto porque vai que eu me apego ao cachorro (tá, o cachorro literário) e ele morre no fim? Peguei esse trauma depois de Marley e Eu, sou uma chorona assumida, confesso. Mas adorei a resenha, quem sabe um dia eu leio a história?!

  • ISABEL CRISTINA
    04 fevereiro, 2014

    Eu que sou cachorreira já vi que irei amar este livro! Muito legal o autor fazer com que a cadelinha "narre" a história! Uma experiência fascinante!

  • Dayenne Vieira
    02 fevereiro, 2014

    Não gosto muito de histórias de animais, mas o fato de o livro ser narrado diretamente por um me deixou bem curiosa. Talvez eu tente a leitura.

    Um abraço,
    Dayenne Vieira.

    http://um-momentoasos.blogspot.com.br/

  • Pedro Silva
    01 fevereiro, 2014

    Adoro livros com animais e esse parece ser BEM interessante, quero saber como o autor narrou as emoções pela visão da cadela. Ótima resenha!

  • Lis Martins
    31 janeiro, 2014

    Não é bem meu estilo de livro, mas apesar disso me deixou bastante intrigada.
    Uma historia contada por uma cachorro deve ser bem interessante.
    Com certeza entrou para minha lista de compras deste ano.

    http://blablabladalis.blogspot.com.br/?view=magazine

  • Giovanna Talamini
    30 janeiro, 2014

    Eu não tenho pulso firme pra ler livros de cachorro e outros animais… nem livro, nem filme! Sempre choro, me emociono e pra mim isso não é legal, rs.

  • Fernando Gonçalves
    30 janeiro, 2014

    Nunca tive muito interesse nesse livro. Não diria que é por contar a história de um animal, já que sou apaixonado por "Marley & Eu". Mas, de qualquer forma, acho essa capa linda :3

  • Alice Aguiar
    30 janeiro, 2014

    bom, eu não quero ler esse livro não é só pelo fato de ser um livro sobre um animal, é também pq não me interessa.
    mas tem gente que curte né, sei lá, só acho sem graça.

  • Joshua Guimarães
    23 janeiro, 2014

    Já estava de olho nesse livro, e com sua resenha, me convenci a comprar logo! Gosto de história que possuem animais como "protagonistas", ainda mais quando o autor imagina o que se passa na mente do cão e tudo mais, e tenho a sensação de que "Rose na Tempestade" será uma leitura emocionante! Afinal, eu já me apaixonei pela capa, então vou adquirir o quanto antes, rs. Ótima resenha!

    Abraços,
    – pensamentosdojoshua.blogspot.com

  • Alice Aguiar
    23 janeiro, 2014

    esse livro não me interessou nenhum pouco!
    Seguindo o Coelho Branco

  • Sandra Mendes
    22 janeiro, 2014

    Oi, Felipe!

    Vi seu blog no grupo Blogueiros Literários e vim aqui te visitar e seguir. 🙂

    Beijos!

    http://www.oblogdasan.com

  • Anônimo
    22 janeiro, 2014

    Eu já queria ler esse livro, agora só aumentou minha vontade. A história é linda e pelo que diz na resenha, é muito encantador! *—*

    Beijinhos, Thamires R.
    http://marcaprovisoria.blogspot.com.br/

    • Felipe Miranda
      Rodolfo
      22 janeiro, 2014

      Leia e me diga o que achou, é uma estória linda, sim! :*

  • Camila
    22 janeiro, 2014

    *-* me encantei pela história.. quero muito ler esse 🙂