Últimas Notícias

News
Recentes

Conheça “Metrópolis”, clássico sci-fi de Thea von Harbou, que chega em capa dura em Outubro!

News
Recentes

“A Saga do Assassino”, de Robin Hobb, ganha nova edição pela Suma!

News
Recentes

Sequência de “O Conto da Aia” chega em novembro às livrarias!

Livraria Martins Fontes

[RESENHA] Coroa Cruel – Victoria Aveyard

Publicado em 02 ago, 2016

Coroa Cruel – Victoria Aveyard
Contos da série A Rainha Vermelha

ISBN-10: 856576592X
Ano: 2015
Páginas: 232
Editora: Seguinte
Classificação: 
Página do livro no Skoob

Duas mulheres uma vermelha e uma prateada contam sua história e revelam seus segredos. Em Canção da Rainha, você terá acesso ao diário da nobre prateada Coriane Jacos, que se torna a primeira esposa do rei Tiberias VI e dá à luz o príncipe herdeiro, Cal tudo isso enquanto luta para sobreviver em meio às intrigas da corte. Já em Cicatrizes de Aço, você terá uma visão de dentro da Guarda Escarlate a partir da perspectiva de Diana Farley, uma das líderes da rebelião vermelha, que tenta expandir o movimento para Norta e acaba encontrando Mare Barrow pelo caminho.

Resenha:
A Rainha Vermelha é um dos meus livros favoritos, esteve na lista das melhores leituras do ano passado mas, por alguma razão desconhecida, só pude parar e ler Coroa Cruel agora. Trata-se da reunião de dois contos publicados gratuitamente pela autora que a Seguinte lançou em versão física juntamente aos primeiros capítulos de Espada de Vidro, segundo volume da série. Eu nunca fui de acompanhar esses contos lançados por fora, e digo isso me referindo a todas as séries que leio e já li, mas estou bem satisfeito de ter dedicado algumas horinhas do meu tempo para ler o que Aveyard julgou merecer um aprofundamento maior.
Se já era encantado por todo o universo que ela criou, esse livro de contos veio para sanar dúvidas que eu nem sabia que tinha. E vou ser bastante breve porque dois contos não merecem textões. Esses dois contos merecem ser lidos.
Em Canção da Rainha conhecemos a ascensão e a queda da mãe de Cal, a primeira esposa do rei Tiberias VI. Eu poderia muito bem resumir o que li em “socorro”. Porque é isso que eu quis gritar quando li as últimas linhas dessa parte. Aqui o leitor conhece o quão odiável Elara pode ser e do que ela é capaz para conseguir o que quer. Coriane, a primeira rainha, não foi forte o suficiente para aguentar os olhares de inveja e toda a maldade presente no ar de alguém com um posto tão alto e importante. É interessante e triste ao mesmo tempo conhecer mais da política interna do palácio e suas regrinhas sociais.
Em Cicatrizes de Aço adentramos à maquinária da Guarda Escarlate. É surpreendente tudo que li nesses capítulos. Diana Farley é a protagonista e vamos conhecê-la a fundo. Admirá-la. Para ser mais exato, o trecho que acompanhamos se resume a exata missão em que Mare Barrow é inserida à luta do movimento vermelho. Victoria mostra todo o seu talento ao escrever minuciosamente cada passo da guarda para conquistar aliados, vencer inimigos e se inserir no mundinho cor de prata tão injusto e cruel. Acho que depois de tudo que li entendo e confio muito mais na Guarda. Logo, é quase obrigatório que qualquer fã da série o leia. Ao final do livro um mapa de Norta materializa tudo o que até agora esteve apenas em nossa imaginação.
Preciso, urgentemente, de Espada de Vidro. Há tempos não me vejo tão empolgado com uma série literária.
Leia mais de 4 milhões de livros no seu e-book. Os melhores e-books do mundo estão aqui

Recomendados para você

Deixe seu comentário