Últimas Notícias

News
Recentes

Em nova edição, “Blade Runner” ganha capa assinada por Rafael Coutinho

News
Recentes

Em livro de estreia, Emily X.R. Pan escreve sobre suicídio e paixão

News
Recentes

Darkside Books lança versão empoderada de A Pequena Sereia

americanas.com

[RESENHA] Revival – Stephen King

Publicado em 24 maio, 2016

Revival – Stephen King
ISBN-10: 8581053106
Ano: 2015
Páginas: 376
Editora: Suma de Letras
Classificação: 
Página do livro no Skoob

Em uma cidadezinha na Nova Inglaterra, mais de meio século atrás, uma sombra recai sobre um menino que brinca com seus soldadinhos de plástico no quintal. Jamie Morton olha para o alto e vê a figura impressionante do novo pastor. O reverendo Charles Jacobs, junto com a bela esposa e o filho, chegam para reacender a fé local. Homens e meninos, mulheres e garotas, todos ficam encantados pela família perfeita e os sermões contagiantes. Jamie e o reverendo passam a compartilhar um elo ainda mais forte, baseado em uma obsessão secreta. Até que uma desgraça atinge Jacobs e o faz ser banido da cidade. Décadas depois, Jamie carrega seus próprios demônios. Integrante de uma banda que vive na estrada, ele leva uma vida nômade no mais puro estilo sexo, drogas e rock and roll, fugindo da própria tragédia familiar. Agora, com trinta e poucos anos, viciado em heroína, perdido, desesperado, Jamie reencontra o antigo pastor. O elo que os unia se transforma em um pacto que assustaria até o diabo, com sérias consequências para os dois, e Jamie percebe que “reviver” pode adquirir vários significados.

Resenha:
Sou completamente apaixonado pela escrita de Joe Hill, filho de Stephen King, e por anos me culpei por não ter lido nada do mestre do horror até agora. Revival não foi o que eu esperava, mas me impressionou em diversos aspectos. Não é perturbador, não há luzes acesas na hora de dormir, nem a sensação de alguém estar nos observando durante a leitura. A história assusta com problemas comuns que os personagens enfrentam e as sensações despertadas por cada situação. É tudo muito humano e sombrio. A mente do homem é realmente um buraco sem fundo.

Charles Jacobs acreditava em deus, pregava na igreja e mantinha uma vida feliz aos olhos do pai. Até que ele perdeu a mulher e o filho num acidente de carro e passou a questionar absolutamente tudo que antes sustentava a sua fé. O primeiro e último sermão que ele fez depois do ocorrido foi o responsável pela sua expulsão da vizinhança. O reverendo que um dia reacendeu crenças e a rotina religiosa local se tornara um herege. Um homem com um propósito de vida diferente. Pautado na eletricidade.

A eletricidade é a grande protagonista aqui. Ela e suas possibilidades comandam o enredo de uma forma assustadora e ao mesmo tempo bonita. Charles Jacobs sempre acreditou nos poderes de cura e transformação que descargas elétricas podem causar. Fora ela que um dia curara o irmão de Jamie Morton, o cara que narra todo o livro em primeira pessoa. Desde que eles, Charles e Jamie, conheceram-se algo estalou e criou um elo inquebrável. No decorrer dos capítulos a gente vai acompanhando os encontros e desencontros dos dois ao longo da vida.

Revival, no final das contas, é um grande spoiler do que acontece no fim de tudo. Na grande missão que Charles Jacobs escolheu para a sua vida. Ele tem uma teoria, acredita nela e vai até o fim para provar a veracidade das coisas. Ele pode até ter desistido da sua antiga fé, mas não deixa de usá-la para ganhar a vida. A fé alheia virou seu ganha pão.

Só que as coisas saem um pouco do controle quando ele passa a misturar religião e eletricidade de uma forma perigosa. Aqui está o som sobrenatural da história. Jamie, em algum momento da sua já fase adulta, descobre que o ex-reverendo anda fazendo vítimas por aí. Ao mesmo tempo em que ele cura muita gente, também fere e machuca. Seus métodos não são nada convencionais. Deixam sequelas para uma vida toda. Jamie quer pará-lo ao mesmo tempo que quer entender onde ele quer chegar. O leitor descobre juntamente ao narrador como as coisas terminam. E as coisas não terminam tão bem assim. Jamie foi marcado e não quer que outras pessoas também sejam.

A religião de Charles Jacobs é a eletricidade. Ela é que carrega toda a força dessa e de outras vidas. Se para ele a ciência foi uma obsessão que o desviou dos caminhos certos para Jamie o grande choque que o tirou do prumo foi dado por Charles Jacobs. Revival é sobre escolhas que interferem em nossa existência a longo prazo. É sobre o que fazemos hoje e o que não poderemos fazer amanhã. É sobre como alguém pode nos marcar para sempre e destruir nossos sonhos. É sobre ter fé em algo que não existe ou não sustenta nossos desejos. É sobre ter fé e ir além. É sobre acreditar em tudo que existe após a morte. É sobre morrer e continuar vivo. Ressurreição.

E eu ainda estou surpreso com a quantidade de quotes bonitos encontrados durante a leitura. Pena que não marquei as páginas. Meu primeiro contato com a escrita de King foi positiva, apesar de nada do que eu esperava em termos de terror. Leitura recomendada! É empolgante.

WalmartBR

Recomendados para você

Deixe seu comentário