Últimas Notícias

News
Recentes

Adaptação de Dumplin’ ganha trilhada sonora com Sia e Dolly Parton

News
Recentes

Vox é distopia sobre mulheres silenciadas e feminismo. Conheça!

News
Recentes

Best-seller internacional inspirado na cultura africana de Salvador é destaque nos EUA!

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!

[Resenha] Minha vez de brilhar – Erin E. Moulton

Publicado em 21 ago, 2014

Minha vez de brilhar – Erin E. Moulton
Editora: #Irado
ISBN: 9788581635033
Ano: 2014
Páginas: 288
Classificação: 
Página do livro no Skoob / Compre!

Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?

Resenha:

Minha Vez de Brilhar da autora Erin E. Moulton é mais um título que sai pelo selo #Irado, segmento dedicado ao público infantil da Editora Novo Conceito. Já conhecia a escrita da autora pela experiência que tive lendo A Jornada, e mais uma vez garanto que é um prato cheio para a garotada, recheado de valores e lições importantes. Se você iniciar a leitura com grandes pretensões pode se decepcionar, afinal é leitura dedicada a crianças de até 12 anos, trata-se de uma aventura divertida com doses dramáticas que podem entreter qualquer um a procura de uma estória leve.
A melhor amiga de Indie Lee Chickory é sua lagosta dourada Monty Cola. Ela costumava considerar sua irmã Bibi a dona desse posto mas isso foi em outra época que não corresponde ao presente. Monty Cola é especial por diversas razões e uma delas é por se tratar de um crustáceo incomum, encontrado a cada 30 milhões de lagostas capturadas. Conseguem imaginar? Ela é um grande tesouro da família, uma pesca que o pai de Indie se orgulha em ter feito. A trama ganha força quando acidentalmente Indie perde Monty no mar e tudo passa a conspirar em um único objetivo: encontrá-la. 
Indie sempre foi uma criança diferente das outras, sua paixão por peixes é motivo de zombarias na escola devido ao cheiro que sempre a acompanha, isso nunca a preocupou até o momento em que Monty escapa e sua vida passa por uma série de provações pessoais. Divergindo completamente de sua irmã Bibi que acaba de conseguir um papel no teatro para a peça A Noviça Rebelde, Indie cultiva a ideia de que as coisas sempre funcionavam assim, enquanto Bibi alegrava a todos com suas conquistas, Indie só bagunçava a vida de todos a seu redor. 
A característica mais interessante de Indie é o fato dela conhecer incontáveis nomes de peixes e animais aquáticos, além de suas representações faciais através de caretas que um dia foram parte da rotina dela com Bibi. A trama começa a crescer quando Indie conhece Owen Stone, um garoto novo na cidade, rejeitado por ser um estereotipado nerd da cabeça aos pés. Juntos eles formularão um plano de vigília e caça a lagosta dourada. Um plano secreto por vários motivos. Um deles é a vida dupla de Indie. Cansada de ser menosprezada pela sua irmã e seu complexo de perfeição, Indie passa a se comportar da forma que Bibi deseja, isso implica em ações maldosas e de índole duvidosa regadas pelo desejo de aceitação. Captaram? Indie deseja ser uma pessoa melhor e acaba se esquecendo que não precisa ser alguém diferente para isso acontecer.
Personagens cativantes, enrendo leve e divertido, diagramação impecável, incluindo ilustrações que iniciam cada capítulo e peixinhos numerando as páginas. A capa é dura e isso já é motivo para uma boa porcentagem de amor, não acham? A narrativa é feita em primeira pessoa por Indie a o ritmo de leitura é rápido. O desfecho é feliz mas isso não significa que o percurso até ele será fácil, certo? 
Leia mais de 4 milhões de livros no seu e-book. Os melhores e-books do mundo estão aqui

Recomendados para você

Deixe seu comentário