Últimas Notícias

News
Recentes

Autor de “Perdido em Marte” lança thriller de suspense sobre cidade na Lua

News
Recentes

Em nova edição, “Blade Runner” ganha capa assinada por Rafael Coutinho

News
Recentes

Em livro de estreia, Emily X.R. Pan escreve sobre suicídio e paixão

americanas.com

[RESENHA] Deixe-me em paz – Murong Xuecun

Publicado em 05 jun, 2014

Deixe-me em paz – Murong Xuecun
Editora: Geração
ISBN: 9788581301884
Ano: 2014
Páginas: 320
Classificação: 
Página do livro no Skoob / Compre!

Estamos em Chengdu, a quinta metrópole mais populosa da China moderna. Nessa cidade de contrastes vive Chen Zong, um gerente de vendas ambicioso que passa por uma crise – a mulher que ama está prestes a deixá-lo; na empresa há uma conspiração para arruiná-lo; e uma dívida alta ameaça levá-lo para a prisão. Para salvar se, ele arma um plano para virar o jogo e, de quebra, ganhar muito dinheiro.

Resenha:
O que despertou em mim o interesse para ler Deixe-me em paz foi o fato do livro ter sido inicialmente publicado na internet devido a censura do governo chinês. Admito que durante a leitura não fiquei perplexo ou surpreso com as atitudes e temas abordados na narrativa, na verdade só fui perceber o quão ousada e polêmica é toda a atmosfera da estória ao escrever essa resenha e refletir sobre determinados aspectos.

Se fosse resumir o livro em uma única palavra, ela seria: turbulência. Chengdu serve de cenário para a trama, uma cidade no sudoeste da China com mais de 4 milhões de habitantes, e nessa massa gigante e violenta onde a prostituição é de fácil acesso e funciona quase como um turismo, temos Chen Zong, o protagonista mais egoísta de todos os tempos. Chen sempre foi descuidado e nunca soube dizer o quanto havia de dinheiro em seus próprios bolsos. Ele nunca se importou em gastar suas economias com bebidas e vídeos pornôs. Sabe aquele personagem que só ama a si mesmo e sente-se superior por ser mais inteligente que a maioria? Disposto a jogar tudo para o alto por simples e passageiros momentos de prazer, ele se considera um cafajeste nato e não tem problemas com isso.

Detalhe: ele é casado. Zhao Yue é aquele estereótipo de personagem frágil que se apaixona pelo primeiro homem que se mostra certo e acolhedor. Boa parte da trama é gasta em desmentir tudo de bom que construímos sobre ela e o próprio Chen. A verdade é que a carne é fraca, o diabo atenta e fica difícil julgar essa relação. A única certeza é: Zhao, apesar de tudo, merece ser feliz com alguém que se preocupe com coisas além de um corpo nu, e não traia a esposa com a namorada do melhor amigo. Zhan cogita o suicídio diante tanto desprezo do marido. É odiável esse homem! E delicioso ler as reviravoltas da trama.

“Atirando-se em meus braços, ela chorou até desidratar.
– Então, por que você me deixou no hospital para fazer sexo com outra mulher?” Trecho da página 150.

Dividindo espaço com o drama polêmico familiar de Chen e Zhao, temos nosso protagonista disposto a segurar o céu se ele ousar cair em algum momento. Após um colega de trabalho ser promovido e passar a ser seu chefe, Chen veste uma armadura de inveja e disputa. Uma série de conspirações irão se erguer e ele fará o possível para se manter no trabalho e subir na carreira. A ambição construiu as paredes da empresa e não tardará a ruir qualquer um que fraquejar. Sabe o que é mais gritante? Desde os primeiros capítulos o leitor percebe que Chen está destruindo sua vida da pior maneira possível, a narrativa caminha para esse ponto exato: como será o fim de Chen? Ele afirma, e é verdade, que já ganhara milhões e milhões para a empresa, mas conta nos dedos e deposita em uma sacola tudo aquilo que conquistou em sua vida. É visível que as perdas foram mais significativas…

Narrado em primeira pessoa por Chen, a estória passeia por todas as épocas da vida de nosso protagonista, desde os tempos de universitário até o desfecho previsível para um leitor atento. Repleto de personagens peculiares e tão importantes quanto Chen, o enrendo é uma turbulência de acontecimentos perigosos, sexuais, corruptos e, claro, polêmicos. Joguinhos de vingança e drogas não desbancam a visibilidade que a prostituição ganha nesse livro. Sério! A leitura não é recomendada para menores por mais que não seja um livro erótico. É uma leitura puramente para o entretenimento e serviu ao propósito.

WalmartBR

Recomendados para você

Deixe seu comentário