Últimas Notícias

News
Recentes

Autor de “Perdido em Marte” lança thriller de suspense sobre cidade na Lua

News
Recentes

Em nova edição, “Blade Runner” ganha capa assinada por Rafael Coutinho

News
Recentes

Em livro de estreia, Emily X.R. Pan escreve sobre suicídio e paixão

americanas.com

[Resenha] Adeus à inocência – Drussila Campbell

Publicado em 18 dez, 2013

Adeus à inocência – Drussila Campbell
Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581632766
Ano: 2013
Páginas: 272 
Classificação:
Página do livro no Skoob

Madora tinha 17 anos quando Willis a “;resgatou”;. Distante da família e dos amigos, eles fugiram juntos e, por cinco anos, viveram sozinhos, em quase total isolamento, no meio do deserto da Califórnia. Até que ele sequestrou e aprisionou uma adolescente, não muito diferente do que Madora mesmo era, há alguns anos… Então, quando todas as crenças e esperanças de Madora pareciam sem sentido — e o pavor de estar vivendo ao lado de um maníaco começava a fazê-la acordar —, Django, um garoto solitário, que não tinha mais nada a perder depois da morte trágica de seus pais, entrou em sua vida para trazê-la de volta à realidade. Quem sabe, juntos, Django, Madora e seu cachorro Foo consigam vislumbrar alguma cor por trás do vasto deserto que ajudou a apagar suas vidas?

Resenha:
Com um pai morto e uma mãe que esquecera de preocupar-se com a filha, Madora era negligenciada e sentia-se só. Sem valor algum. Bebia, drogava-se e usava roupas cada vez mais curtas. Ela tinha 17 anos quando conheceu Willis Brock e teve sua vida mudada. Para melhor ou para pior, você só saberá ao ler essa estória por completo. Mesmo percebendo tarde demais que Madora estava perdida, ela alertou-a que havia algo errado em Willis, por trás daquele comportamento aparentemente afável, algo podre se escondia. Algo ruim.

A narração é feita por Madora em flashes, hora no presente, hora no passado. Isso nos possibilita conhecer a fundo a estória conflituosa de amor entre Madora e Willis. Cinco anos após se conhecerem, eles estão morando juntos em Ever Canyon, um local afastado no meio do deserto, onde a cidade mais próxima fica a 50 quilômetros de distância. Sem Tv, telefone, rádio, computador ou qualquer meio de comunicação que permita contato com o mundo exterior, Madora não percebe o quanto é prisioneira em sua própria casa. Ela simplesmente aceita e é grata por tudo. Madora não trabalha mais, sua rotina se resume em limpar, cozinhar e agradar Willis. Não que ela se importe, ela o ama e faria qualquer coisa por esse homem, por esse “amor”. Willis nutre nela o sonho de um casamento e uma família, mas o que Madora não percebe é que não tem controle algum sobre a relação dos dois, nem sobre si mesma. Sua opinião não importa e sempre que se impõe ou questiona algo, ela enfrenta acessos de raiva e acaba desistindo de qualquer coisa que queira ou pense.

Em uma noite chuvosa, Willis retorna do trabalho com Linda. Sem aviso algum ele trouxe uma mulher grávida para Madora cuidar. O plano consiste em realizar o parto e vender a criança. Dinheiro. Um parto realizado por Willis que mantinha um sonho de entrar na faculdade de medicina. Madora finalmente começa a perceber o quão grave é a situação quando Willis se recusa a libertar Linda após o parto, passando a mantê-la prisioneira, acorrentada. O relacionamento dos dois está cada vez mais frágil e pequenos detalhes despertam nela uma consciência e coragem a tanto tempo adormecida… Quem é esse homem que ela pensa conhecer mas não sabe nada de seu passado?

Paralelo a tudo isso temos o jovem de 12 anos Django Jones, membro de uma família extremamente rica, ele acaba de perder os pais em um acidente de carro e passa a morar com sua tia Robin.Sua vida muda completamente e apesar dos esforços da tia, ele não se encaixa em lugar algum. A saudade dos pais é avassaladora. Ao conhecer Willis, em um serviço de assistência médica domiciliar, e conversar com Madora ao descobrir sua casa, tão afastada de tudo, ele começa a perceber algo de errado. Django pode ser a única chance de um final feliz para essa trama.

“- Olha quem está falando, Linda. Sou eu quem vai sair do trailer em um minuto. Sou eu quem sabe a combinação do cadeado.
– Então? Por que você não o deixa? Se é tão livre, por que não começa uma vida? “
Trecho adaptado da página 118


As mudanças de comportamento, boas e ruins, que acontecem nos personagens durante a trama deixam a leitura deliciosa. Se eu tive raiva e fiquei incrédulo em diversos trechos? Com certeza. Se eu torci por um final feliz e respirei fundo quando as coisas não acabavam bem? Sem dúvidas. É uma boa estória mas senti falta de aprofundamento em alguns aspectos, talvez pela expectativa ao ler a sinopse. Willis não é tão insano assim e Madora fica à margem da solidão. O enrendo poderia crescer de forma gritante e ser algo chocante mas se mantêm nas beiradas. O desfecho é revoltante por diversos motivos e o livro é um alerta vermelho. Dá pra imaginar quantas pessoas vivem situações parecidas? Passivas e presas em estados de torpor, conformadas sem perceber o quanto a vida pode ser melhor. O quanto a vida pode ser vivida. Algumas têm sorte, outras nem tanto. O que a vida espera da gente é um pouco de coragem… 
WalmartBR

Recomendados para você

Deixe seu comentário

5 Comentários

  • GonçalvesSue
    07 fevereiro, 2014

    Cara, não tinha vontade de ler o livro, não tinha gostado da capa e pensei que falava de outra coisa. Sua resenha me deu uma nova visão da história, e fiquei louca pra ler.

  • Ariana Oliveira Gomes
    05 janeiro, 2014

    Rapaz, sua resenha me deixou sem folego, sério… Quero ler este livro LOGO. E não gostei da sinopse, sei lá pq, mas se fosse só por ela não teria vontade nenhuma em mergulhar nesta leitura.
    Vou te falar de novo, você vai me levar à falência… kkkkkkkkkk…

  • Anônimo
    31 dezembro, 2013

    Esse era um livro que não sabia o quê esperar da trama, mas depois de algumas resenha lidas este é um dos livros que estão na minha lista de próximas leituras. E sua resenha me deixou ainda mais curiosa. Ótima resenha.
    Espero poder conferir em breve!!

  • Maria Clara
    18 dezembro, 2013

    Hummm, parece interessante. A capa passa muita coisa, adorei.

  • Fernanda Moraes
    18 dezembro, 2013

    Eu gostei da história, e o fato de você dizer que o desfecho é revoltante chama logo a atenção pra saber o porque e tudo mais o que aconteceu, mas não me senti atraída o suficiente por tudo pra ter vontade de ler! :/

    Beijos.