Últimas Notícias

News
Recentes

Adaptação de Dumplin’ ganha trilhada sonora com Sia e Dolly Parton

News
Recentes

Vox é distopia sobre mulheres silenciadas e feminismo. Conheça!

News
Recentes

Best-seller internacional inspirado na cultura africana de Salvador é destaque nos EUA!

Livraria Cultura - Clique aqui e conheça nossos produtos!

[Resenha] Lua Vermelha – Benjamin Percy

Publicado em 24 nov, 2013

Lua Vermelha – Benjamin Percy
Editora: Arqueiro
ISBN: 9788580412185
Ano: 2013
Páginas: 432 
Classificação: 
Página do livro no Skoob

Eles vivem entre nós.
São os seus vizinhos, a sua mãe, o seu namorado.
Eles mudam do dia para a noite.

Como toda adolescente, Claire Forrester se acha meio deslocada. Quando
agentes do governo invadem sua casa e matam seus pais, ela percebe o
quanto é diferente. Claire pode se transformar em uma criatura
semelhante a um lobo. Ela é uma licana.

Patrick Gamble entra em um avião e, horas depois, desembarca como o
único sobrevivente de um ataque terrorista promovido pelos licanos. Da
noite para o dia, ele vira um herói nacional: o Menino-Milagre.

O governador Chase Williams jura que, se for eleito presidente,
protegerá o país da ameaça que aterroriza a população. Em meio ao
acirramento dos conflitos entre humanos e licanos, seu discurso
intensifica a discriminação. No entanto, ele vai se tornar exatamente
aquilo que prometeu destruir.

Cada um a seu modo, os três estão envolvidos em uma guerra que tem sido
controlada com leis, violência e drogas. Mas uma rebelião está prestes a
estourar, provocando mortes e destruição e entrelaçando seus destinos
para sempre.

Com a chegada da noite da lua vermelha, o mundo se tornará
irreconhecível. A batalha pela sobrevivência da humanidade irá começar.

Resenha:

Diferente de todas as minhas experiências literárias,
Benjamin Percy ganhou um lugar especial na minha estante. O lugar onde ficam os
livros que ganharão sequências e que, além de estar feliz por isso, mal posso
esperar para lê-las.
Patrick Gamble está abandonando tudo que o faz sentir-se
alguém, a Califórnia, os amigos, o colégio, o pai, e está indo passar doze
meses com sua mãe, com qual não cultiva nenhuma espécie de intimidade, ela é
uma estranha e sua nova cama confortável como um caixão. Seu pai fora convocado
para uma missão de doze meses,  sua
unidade fora reativada e ele irá lutar em uma guerra. Uma guerra contra os
licanos.
Posso comparar os licanos a lobisomens, mas prefiro que o
preconceito não invadam suas mentes, esse livro reforçou a ideia de que nem
todos os livros que envolvam lobos são toscos, previsíveis, ou que não há nada
novo a ser explorado a respeito. Essa era minha opinião sobre, e estou feliz em
afirmar que foi devidamente lapidada. Os licanos são resultado de uma espécie
de vírus, o lobos,  que provoca mutações genéticas
anormais nos infectados. A estória é ambientada em uma realidade onde licanos e
seres humanos convivem em parcial harmonia, os licanos registrados são
obrigados a tomarem um coquetel químico que controla as transformações e contém
os impulsos selvagens sob controle.

Muitos veem isso como uma negação de sí
mesmos,  como é de se esperar, eles não
são vistos com bons olhos e o preconceito cresce cada vez mais, quando a
descriminação se torna insuportável, e emendas que reconhecem o lobos como uma
ameaça a segurança pública e a saúde,  entre
outras reduções de direitos básicos, uma guerra explode e a lua será banhada a
sangue.

“A máquina da morte. Patrick não sabe ao certo o que o
sargento quis dizer com isso. Se estava se referindo aos Fuzileiros Navais ou
ás Forças Armadas. Á base ou á República. Ou quem sabe a vida. Talvez a máquina
da morte fosse a vida, um grande pesadelo de engrenagens potentes e dentes
cortantes como os de uma serra elétrica que nunca para de destroçar corpos.”
Trecho da página 229

Claire cursa o último ano do ensino médio e planeja uma fuga
de tudo que constitui a sua vida, ela anseia por algo mais, por qualquer aventura
que ela sabe que jamais encontrará na aldeia fria e cercada de árvores em que
vive. Ela é uma licana e acaba de conseguir a fuga que tanto quis, sua casa foi
invadida e seus pais foram mortos. Ela escapou por pouco e precisa encontrar
uma forma de sobreviver pois está sendo caçada. Furgões blindados e sedãs
pretos com placa do governo rondam as ruas com faróis apagados. O motivo?

Uma
célula terrorista de licanos foi considerada responsável por uma série de
atentados a aviões de todo o país. Agora, todo e qualquer licano pagará por uma
parcela de rebeldes sem controle. Centenas de pessoas foram mortas e o
presidente garantiu reação rápida e severa. Patrick Gamble estava no voo e
sobreviveu, não por ter sido corajoso e enfrentado o licano responsável pelo
massacre, mas por que escondera-se debaixo de um cadáver e se fingira de morto.
Isso não é algo para ser narrado e revivido, é algo para se esquecer, mas não
será tão simples assim quando se é conhecido como o Menino Milagre, o voo 373
jamais sairá de sua mente.

“De repente tudo parece se resumir ao número dois: os dois
dedos, os dois vídeos, os dois nomes pelos quais ela é conhecida, o sol e a
lua, os infectados e os não infectados, os Estados Unidos e a República, o
presidente e seu adversário, Matthew e Patrick, Reprobus e Miriam. Claire sente
que está partida ao meio – o mundo inteiro está.”
Trecho da página 313

O governador Chase Williams é um livro aberto, ele frequenta
boates de striptease, atira pipocas em partidas de basquete e anda depressa
demais em seu barco com duas loiras de biquíni sempre a postos. Os jornalistas
o amam e ele não liga, não se importa, ele é independente e isso o faz gente da
gente, ele é adorado por todos e seu mandato é considerado estável até que
ataques licanos se tornam frequentes e atitudes pedem para serem tomadas. A
promessa de uma vacina é cobrada intensamente pela imprensa. A guerra pode ser
um ponto negativo para seu mandato, ele contará com o auxílio de Augustus ou
Búfalo, para manter tudo sob controle. O que ele não esperava é ser atacado e
infectado por um licano e tornar-se aquilo que tanto se empenha para dizimar. Chase
funciona como o típico personagem que de tanto ser “errado” acaba sendo o
personagem mais certo na estória, o trunfo.
Claire descobrirá que manter-se viva na atual situação pode
ser mais difícil do que parece,  sua tia,
Miriam, pode ser a provável segurança garantida mas ela tem seus próprios
problemas. Patrick conhecerá a fundo o ódio que as pessoas nutrem pelos licanos
e como é difícil resistir a uma bela garota, confiar em qualquer pessoa,
decepcionar-se e sofrer as consequências de seus atos mesmo que passivos. Os caminhos
de ambos se cruzarão durante toda a narrativa, em terceira pessoa, que é
dividida em três partes, uma melhor que a outra, isso posso garantir.

A escrita
de Percy tem um quê sombrio e nostálgico que vicia, te enlaça e transmite
exatamente o clima que uma guerra deve ter.  Que cada passagem deve ter. É um enredo que
cresce surpreendentemente a cada capítulo, repleto de diálogos inteligentes e
situações inesperadas. Personagens como Miriam, que me ganhou completamente
durante cada segundo de sua narrativa e me fez torcer por uma reviravolta, Sra.
Strawhacker, com suas previsões a respeito do futuro que são um tanto
assustadoras, Reprobus, com seus discursos inflamados , Jeremy Saber, com sua
coragem, e Puck com seu caráter escroto e atitudes repugnantes, são personagens
que deram um toque especial ao enredo, deram sustância, pilares fortes que
mantiveram a estória firme.

O governo planeja a ocupação da República Lupina, a
Resistência comandada por Balor, planeja cada vez mais atos terroristas para
ter nas mãos o sistema que os oprime, e um Território Fantasma está cada vez
mais real. Os licanos inocentes, não envolvidos na guerra são prejudicados da
mesma forma e as torturas que acontecem sem o conhecimento das massas são
inumanas, para ambas as partes envolvidas… A possibilidade de uma vacina está
cada vez mais próxima mas um atentado pode interferir em qualquer rumo que as
coisas estivessem tomando, assim como a identidade licana secreta do governador
do estado.

O desfecho é torturante, como o leitor pode aguentar pelo lançamento
da sequência? É o cúmulo da injustiça. Lua Vermelha é maravilhoso.

Leia mais de 4 milhões de livros no seu e-book. Os melhores e-books do mundo estão aqui

Recomendados para você

Deixe seu comentário

12 Comentários

  • Anônimo
    31 dezembro, 2013

    Gostei bastante da sinopse de Lua vermelha 🙂
    Ainda não gostei li nenhum livro sobre lobisomens bom. Espero que Lua Vermelha supra as minhas expectativas.

  • Thais Rosa
    02 dezembro, 2013

    Muito bom! achei muito interessante. Vou correr pra comprar

  • Alessandra Carvalho
    30 novembro, 2013

    Nossa, muito interessante!!! Nunca tinha me interessado por esse autor, mas apos ler sua resenha… me inspirou, realmente em ler.

  • Alessandra Tapias
    26 novembro, 2013

    Gente!!!! Que Governador é esse??
    Enlouqueci aqui, kkkkkkkkkkkkkkk.
    Eu adoro um sobrenatural, e amo quando fazem isso de forma diferente. Mais do mesmo enche muito. Este me pareceu muito diferente.
    Só gostaria de saber como é a diagramação, aquelas letrinhas pequenininhas da editora?
    Me responde depois, por favor.

    bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    • Felipe Miranda
      Rodolfo
      26 novembro, 2013

      Oi, Lelê!

      É diferente sim, todos os elementos <3

      A fonte é a típica das publicações da Arqueiro. Mas eu gosto, viu? kkkkk acho classudo :3

  • Blog da Liana
    25 novembro, 2013

    Adorei a resenha! Não curto muito livros nesse estilo porque não é o que eu mais gosto mas um dia posso até ler porque achei instigante.

  • Shadai
    25 novembro, 2013

    O livro parece excelente, mas não irei ler tão cedo, pois espero lançar todos os volumes da série.
    Quanto a resenha, não me leve a mal, sendo apenas sincero numa crítica construtiva:
    acho que ficou grande e muito descritiva da história e personagens, dava para resumir um pouco.

    • Felipe Miranda
      Rodolfo
      26 novembro, 2013

      Shadai, concordo com você haha Eu me estendi bastante na resenha mas foi por empolgação mesmo, fui escrevendo, escrevendo e tive pena de cortar. Pelo menos não dei spoilers!!!!

      :]

  • Raquel Moritz
    25 novembro, 2013

    Eu vi esse livro na livraria esses dias e achei a capa bem intrigante, mas o resumo dele não tinha me agradado. Achei interessante a tua avaliação, embora não seja o tipo de livro que eu leria, ao menos é algo de respeito, hehehe. 🙂

    Beijo!

    Raquel
    http://www.pipocamusical.com.br

  • Maria Clara
    25 novembro, 2013

    Que resenha enorme, rsrsrs. Nunca tinha visto falar desse livro mas adoro lobisomens!

  • Maria Silvana Santana
    24 novembro, 2013

    Oiee, rapaz =)
    caramba, essa é a primeira vez que vejo o livro e leio a respeito dele, nossa que proposta boa menino, eu quero ler com certeza, mas creio que irei esperar o segundo volume, pois dessa forma não serei torturada com a espera, como você vai ficar! rsrsrsr
    Beliscões carinhosos da Máh ♥
    Cantinho da Máh
    @Maaria_Silvana

  • Lucas Kammer Orsi
    24 novembro, 2013

    Olá Felipe, tudo bom?

    É a primeira resenha que vejo de Lua Vermelha. Confesso que me surpreendi, pois imagina mais um romance de 'lobisomens', ou no caso licanos. No entanto, sua resenha me fez repensar e fiquei curioso pela leitura. A sinopse de Lua Vermelha me lembrou um pouco A Passagem e Noturno (ambos são de vampiros).

    Espero ler o quanto antes,
    Abraço,
    Lucas
    ondeviveafantasia.blogspot.com.br